“Thriller” (Michael Jackson) versus “Unorthodox Jukebox” (Bruno Mars) – Parte I

Falta menos de uma semana para o retorno do Clube do Vinil e depois de dezenas de álbuns e artistas nós voltamos na próxima Terça-Feira com uma decoração impecável, ouvidos aguçados e argumentos afiados pra tocar o terror (literalmente) num track-by-track de dois álbuns icônicos, um deles é nada menos que Thriller do genial Michael Jackson.

Capa de Thriller

Lançado em 1982 com o selo da Epic Records, o sexto disco solo da carreira de Michael alcançou a marca de 110 milhões de cópias vendidas, assumindo assim o posto de mais bem vendido da história. Com sete hits em potencial num total de nove faixas, o disco possui parcerias icônicas como no dueto com Paul McCartney em “The Girl Is Mine” e a guitarra de Eddie Van Halen em “Beat It”, além de marcos sonoros como o baixo preciso em “Billie Jean”. Thriller explora gêneros proeminentes como o pós-disco e o funk além do pop/rock, da suavidade da música contemporânea e do R&B, recursos que elevaram o patamar do disco que transportou Michael para um posto de Rei do Pop.

Além de sua genialidade musical, Thriller quebrou barreiras raciais na música pop com suas apresentações recorrentes na MTV além de ter os vídeoclipes de “Billie Jean”, “Beat It” e  o próprio “Thriller” constantemente exibidos na emissora, garantindo então o posto de primeiro disco a ter vídeos musicais como materiais de divulgação bem sucedidos.

MichaelJackson_Videoshoots-Beat-It_Vettri_Net-04

Como todo trabalho do Rei do Pop, Thriller foi minuciosamente pensado. Durante seu processo de gravação Jackson desenvolvia o disco se inspirando em cada canção como um assassino. Fala-se em “Billie Jean” como uma alusão aos diversos casos em Michael precisou lidar com fãs obcecados e “Beat It” foi usada como uma homenagem ao musical “West Side Story”. É incrível como cada enredo se torna bastante singular e reconhecível nos trejeitos e na voz de Michael. Seu timbre aclamado passeava entre os ousados falsetes como uma afronta e seu famoso “soluço vocal” caracterizava uma voz que transbordava emoção em suas diversas formas.

Curto, convidativo e extremamente dançante, Thriller implora por pelo menos um “Moonwalk” (a gente ensina, vem!) e nós do Clube do Vinil assumimos o divertidíssimo trabalho de trazer à tona suas particularidades e abrir espaço para uma incrível troca de ideias.

Esperamos vocês!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s